15 de janeiro de 2014

Glossário Dermatológico



Acne: doença comum, autolimitada, que envolve os folículos pilosebáceos.

Acne congoblata: tipo muito severo de acne onde há nódulos inflamatórios profundos que se conectam sob a pele formando túneis e fístulas, por onde saem secreção sebácea e/ou pus.

Acne mecânica: forma de acne que se desenvolve em resposta à maquiagem ou cremes que obstruem os poros, constante pressão e/ou traumatismos repetitivos sobre a pele.

Acne vulgar: termo médico usado para definir a acne não complicada, caracterizada pela presença de uma ou mais das lesões elementares: comedões abertos, fechados, pápulas e/ou pústulas.

Acantólise: perda de adesão entre células epiteliais por degeneração dos desmosomas ou da substância cimentante intercelular o que permite a formação de bolhas ou vesículas.

Acantose ou hiperacantose: aumento moderado ou excessivo da camada malpighiana.

Acrocordões (apêndices cutâneos): são pequenos papilomas encontrados comumente nos lados do pescoço, axilas, tronco superior e pálpebras nos indivíduos de meia-idade e nos idosos.

Aftas: são erosões mucosas recidivantes, dolorosas, que surgem na face interna das bochechas, lábios, gengivas, língua, palato e faringe.

Alteração cavitária: edema intracelular com formação de cavidades no interior de células malpighianas. É a fase inicial da degeneração reticular.

Alopécia: ausência de pêlos em locais pilosos.

Anaplasia: alteração de células que apresentam núcleos grandes, irregulares e hipercromáticos e com eventual presença de mitoses atípicas, característica de neoplasias malignas.

Apêndices cutâneos (acrocordões): são pequenos papilomas encontrados comumente nos lados do pescoço, axilas, tronco superior e pálpebras nos indivíduos de meia-idade e nos idosos.

Atrofia: diminuição da espessura da pele, localizado ou difuso, que pode se acompanhar de adelgaçamento e pregueamento da pele. É devido a redução do número e volume dos constituintes teciduais. A atrofia linear chama-se víbice, nome que também serve para designar uma lesão purpúrica linear.

Biópsia: a biópsia por punção é um procedimento extremamente simples que, em todos, com exceção de alguns casos, é adequada para remover tecido suficiente para um estudo histopatológico.

Blefaroplastia ou cirurgia das pálpebras: correção cirúrgica para remoção do excesso de pele palpebral que cai sobre os olhos, conferindo aspecto cansado e depressivo ao indivíduo. Podem ser removidas também as bolsas de gordura. Realizada sob anestesia local na própria clínica, quando somente se operam as pálpebras superiores e em Hospital quando se extende a cirurgia para as pálpebras inferiores.

Bolha: cavidade epidérmica ou sub-epidérmica, contendo serosidade, hemácias ou células. A bolha inferior a 1 cm de diâmetro pode ser chamada de vesícula. A lacuna é uma vesícula pequena, intra-epidérmica.

Bolha: elevação contendo líquido claro, maior que 1 cm em tamanho. O líquido, primitivamente claro, pode se tornar turvo-amarelado ou rubro, formando-se bolha purulenta ou hemorrágica.

Calosidades: são áreas adquiridas de pele espessada que aparecem em locais de atrito repetido ou prolongado, pressão ou esforço tangencial.

Calos: são áreas adquiridas de pele espessada que aparecem em locais de atrito repetido ou prolongado, pressão ou esforço tangencial.

Ceratoses seborréicas: são lesões epidérmicas benignas, não invasivas, hiperplásicas encontradas mais profusamente na face, ombros, tórax e dorso.

Ceratoses actínicas (solaris, senis): são lesões pré-malignas causadas pelos efeitos cumulativos da radiação solar sobre a pele, estando localizadas apenas nas superfícies expostas: face, ouvidos, dorso dos antebraços e mãos.

Cianose: eritema arroxeado por congestão venosa ou passiva, com diminuição da temperatura.

Cicatriz: lesão lisa, plana, saliente ou deprimida, sem os sulcos, poros e pêlos, móvel, aderente ou retrátil. Associa atrofia com fibrose e discromia. É resultante da reparação de processo destrutivo da pele.

Cicatriz atrófica: fina, pregueada, papirácea.

Cicatriz críbrica: perfurada por pequenos orifícios

Cicatriz hipertrófica: nodular, elevada, vascular, com excessiva proliferação fibrosa, com tendência a regredir.

Coleções líquidas: as lesões elementares incluídas no grupo das coleções líquidas são aquelas com conteúdo líquido que pode ser serosidade, sangue ou pus. Compreendem as vesículas, pústulas, bolhas, gomas, abcessos e hematomas.

Crosta: concreção de cor amarelo-claro ao esverdeado ou vermelho-escuro, que se forma em área de perda tecidual. Resulta do dessecamento de serosidade (melicérica), pus (purulenta) ou sangue (hemorrágica), de mistura com restos epiteliais.

Calo: hiperqueratose em cunha, que se introduz causando dor. Devida a irritação ou pressão mecãnica dos pés.

Calosidade: hiperqeratose circunscrita em áreas de pressão ou fricção nos pés e mãos.

Carbúnculos: são abscessos estafilocócicos maiores e mais profundos que tumores e desenvolvem-se em pele inelástica espessa.

Celulite: inflamação da derme e/ou do tecido celular subcutâneo.

Cisto: formação elevada ou não, constituída cavidade fechada envolta por um epitélio contendo
líquido ou substância semi-sólida.

Comêdo ou comedão: acúmulo de corneócitos no infundíbulo folicular (cravo branco) ou de queratina e sebum em um folículo piloso dilatado (cravo preto).

Corno: excrescência cutânea circunscrita e elevada formada por queratina.

Carcinoma basocelular: câncer da pele que se desenvolve na camada basal da epiderme e dissemina-se excentricamente com menor tendência a invadir os tecidos profundos. Em alguns pacientes pode assumir comportamento mais agressivo com potencial de reincidência e infiltração de cartilagens e ossos tendo um potencial destrutivo local que chega a requerer intervenções complexas e radioterapia. Raríssimos casos de disseminação linfática ou metástases desse tipo de tumor são relatados na literatura cientifica.

Carcinoma espinocelular: é a forma de câncer mais associado à exposição solar crônica e à pele mais danificada pela luz solar. Desenvolve-se na camada espinhosa da epiderme e cresce em direção da camada basal, infiltrando-a e penetrando em tecidos mais profundos. Tem potencial de infiltra linfáticos e outros órgãos, podendo levar a morte.

Cloasma: tipo de hiperpigmentação, que aparece como grandes máculas bronzeadas com bordos irregulares sendo encontrado nas bochechas, lábio superior e testa.

Cloracne: erupção cutânea caracterizada por muitos comedões que se desenvolvem após a exposição a compostos clorados (herbicidas).

Comedão ou comedões: lesão primária da acne.“Cravo” ou pequena pápula situada em um folículo sebáceo. Pode ser negro (comedão aberto) ou branco (comedão fechado ou mais profundo, geralmente não infamatório).

Curetagem: é uma técnica simples e útil para remover lesões cutâneas benignas tais como verrugas, moluscos, milia e ceratoses; é também eficaz para tratar carcinomas de células escamosas e basais.

Degeneração balonizante: alteração de células epidérmicas que assumem forma em balão por edema e perdem as conexões intercelulares o que possibilita a formação de bolhas ou vesículas. É característica das infecções virais.

Degeneração basófica ou colágeno: presença de material basófilo na derme papilar por degeneração das fibras colágenas e elásticas em áreas expostas à luz solar.

Degeneração fibrinóide do colágeno: depósito de fibrina entre a fibras colágenas ou em torno de vasos, que se caracteriza por cor eosinófilica brilhante e aspecto homogêneo. É encontrada no lúpus eritematoso, vasculites alérgicas e nódulos reumatóides.

Degeneração granulosa da epiderme: também chamada hiperqueratose epidermolítica. Atinge as porções superior e média da camada malpighiana, produzindo intenso edema intracelular, levando à perda dos contornos celulares. Acompanha-se de hiperqueratose e produção excessiva de grânulos de querato-hialina grandes e irregulares. Ocorre em doenças congênitas.

Degeneração hidrópica ou de liquefação: vacuolização das células basais conseqüente e edema na derme, encontrada em numerosas afecções, como lupus eritematoso, líquen plano, líquen escleroso e atrófico e outros.

Degeneração hialina do colágeno: neste tipo de degeneração os feixes colágenos apresentam-se de volume aumentado, mais eosinófilos e homogêneos, com diminuição dos fibroblastos. É encontrada nas cicatrizes, quelóides e esclerodermia.

Degeneração reticular: edema intenso, intracelular que estoura as células epidérmicas e forma vesícula septada, sendo os septos restos de membranas celulares. É encontrada nas doenças virais e em dermatites agudas.

Dermatite atópica: é uma erupção crônica intensamente pruriginosa; é o tipo mais comum de eczema infantil.

Dermatite de contato: pode ser produzida por irritantes primários ou sensibilizantes alérgicos.

Dermatite da mão: é um distúrbio comum  crônico, pruriginoso, que é desorientador e frustrante tanto para o paciente quanto para o médico.

Dermatite numular: caracterizada por placas eczematosas em forma de moeda, é um padrão de reação crônica, frequentemente pruriginosa, porém não específica, encontrada mais comumente em pacientes idosos.

Dermatite seborréica: é uma erupção eritematosa e descamativa que ocorre principalmente em áreas “seborréicas”, ou seja, aquelas com grande número e atividade de glândulas sebáceas.

Desmosoma: estrutura conetiva das células epidérmicas, anteriormente chamadas de ponte intercelular.

Disqueratose: alteração do processo de queratinização no qual ocorre uma queratinização prematura e individual de queratinócitos. Pode ocorrer em neoplasias malignas ou em algumas afecções congênitas.

Edema: aumento da espessura, depressível, com cor própria da pele ou rósea-branca. É determinado pelo acúmulo de líquido na derme e/ou hipoderme.

Enantema: eritema localizado nas mucosas.

Epelides (sardas): são máculas pequenas (2-4 mm), de pálidas a escuras, disseminadas irregularmente na face, ombros, costas e outras áreas expostas ao sol.

Escama: massa laminada, furfurácea, micácea ou foliácea que se desprende da superfície cutânea. É devida à alteração da queratinização.

Eritema: cor vermelha conseqüente à vasodilatação que desaparece por pressão digital ou  vitropressão.

Eritema multiforme: é um padrão de reação da pele que se caracteriza histologicamente primeiro por infiltrado linfo-histiocitário na interfase derme-epidérmica e posteriormente por vesiculação subepidérmica e clinicamente por uma variedade de lesões, incluindo a característica lesão em íris ou em alvo.

Eritema nodoso: é um padrão de reação cutânea, consiste de nódulos vermelhos moles nas pernas e representa uma resposta de hipersensibilidade a qualquer um dos numerosos fatores.

Eritemas figurados: são manchas eritematosas de formas várias e de limites bem definidos.

Eritrodermia: eritema generalizado, crônico e persistente que se acompanha freqüentemente de descamação.

Eritroderma: eritema generalizado, persistente e crônico, com descamação.

Erosão ou exulceração: perda superficial que atinge somente a epiderme.

Erupção de fralda: é o resultado final de exposição constante de fatores adversos no local de uso das fraldas.

Erupção de fralda leve: é uma reação irritativa primária e aparece como eritema simples.

Escoriação: erosão linear que é conseqüente à cocagem.

Esclerose: alteração da espessura com aumento da consistência da pele que se torna lardácea ou coriácea. A pele pode estar espessada ou adelgaçada, não é depressível e o pregueamento é difícil ou impossível. Resulta de fibrose do colágeno.

Escara: área da pele de cor lívida ou negra, limitada, resultante de necrose tecidual. O termo é também empregado para a ulceração após a eliminação do esfacelo. Ainda que as lesões elementares possam se apresentar isoladamente, na maioria das vezes apresentam-se associadas ou combinadas, daí decorrendo variedade de expressões, como eritêmato-papulosa, pápulonodular, atrófico-escamosa, ulcero-crostosa, vésico-bolhosa e inúmeras outras.

Esfregaços citológicos: são técnicas citológicas utilizadas em dermatologia que são úteis no diagnóstico de doenças bolhosas e erupções viróticas sólidas e vesiculares.

Espongiose: edema intercelular na camada malpighiana que pode levar à formação de vesícula ou bolha. É encontrada nas dermatites agudas. É característica do grupo pênfigo porém pode ser encontrada na queratose actínica e epiteliomas, bolhas virais e doença de Darier.

Estomatite aftosa: são erosões mucosas recidivantes, dolorosas, que surgem na face interna das bochechas, lábios, gengivas, língua, palato e faringe.

Exantema: eritema generalizado, agudo, de duração relativamente curta. Pode ser morbiliforme ou rubeoliforme, quando há áreas de eritema entremeadas com áreas de pele sã ou escarlatiniforme quando é difuso e uniforme.

Fissura ou ragádia: perda linear da epiderme e derme, no contorno de orifícios naturais ou em áreas de pregas ou dobras da pele.

Foliculite: é uma infecção estafilocócica que se inicia nos folículos pilosos e em torno destes. A foliculite pode levar á formação de furúnculos ou carbúnculos.

Forma anular: em anel; forma arcada: em arco; forma circinada: em círculo; forma corimbiforme: em corimbo, lesão principal central e outras satélites; forma discóide: em forma de disco; forma figurada: com borda de contorno bem definida; forma geográfica: de contorno irregular, lembrando mapa geográfico; forma girata: em giro ou espiral; forma gotada: em gotas; forma irisada: com círculos concêntricos; forma lenticular: como lentilha; forma linear: em linha; forma miliar: como grânulos de mílio; forma numular: como moeda; forma pontuada: em pontos; forma serpiginosa: em linha ou contorno sinuoso; forma zosteriforme: consoante um trajeto de um nervo; formações sólidas: resultam de processo inflamatório ou neoplásico, atingindo isolada ou conjuntamente a epiderme, derme ou hipoderme.

Fístula: canal com pertuito na pele que drena foco profundo de supuração ou necrose.

Folículo pilo-sebáceo: pequena invaginação da pele por onde saem os pelos e a gordura produzida pelas glândulas sebáceas para a superfície da pele.

Goma: é um nódulo ou nodosidade que se liquefaz na porção central e que pode ulcerar-se, eliminando substância necrótica.

Hematoma: coleção de sangue na pele ou subcutâneo, circunscrita, proeminente ou não e de tamanho variável.

Hipercromia: mancha de cor variável, causada pelo aumento da melanina ou depósito de outro pigmento. O aumento da melanina – mancha melanodérmica tem cor variável do castanho claro ao escuro, azulado ou preto. As manchas resultantes do depósito de hemossiderina ou do ácido homogentísico têm também cor do castanho escuro ao preto. A cor amarelada da pele é observada na icterícia e na carotinemia. As tatuagens apresentam coloração variável de acordo com o pigmento e profundidade da sua localização.

Impetigo: é principalmente uma doença estreptocócica encontrada na face e outras áreas expostas.

Infiltração: aumento da espessura e consistência da pele, com menor evidência dos sulcos, limites imprecisos, acompanhando-se, as vezes, de eritema discreto. Pela vitropressão, surge fundo de cor café com leite. Resulta da presença na derme de infiltrado celular, as vezes com edema e vasodilatação.

Incontinência pigmentar: depósito de melanina na derme, livre ou no interior de macrófagos, por perda devida à lesão das células melanocíticas (células claras) na camada basal.

Infiltrado inflamatório agudo: presença na derme de polimorfos nucleares com fenômenos  exsudativos de edema, vaso-dilatação e congestão.

Infiltrado inflamatório crônico inespecífico: presença na derme de histiócitos, linfócitos e plasmócitos com fenômenos proliferativos do conjuntivo, porém sem qualquer arranjo característico.

Infiltrado inflamatório granulomatoso: presença na derme de infiltrado constituído por todos ou alguns dos seguintes elementos celulares: linfócitos, histiócitos, plasmócitos, células epitelióides e gigantócitos, com fenômenos proliferativos do conjuntivo. O infiltrado tem um arranjo sugestivo de agente específico, infeccioso ou corpo estranho.

Infiltrado neoplásico maligno: infiltrado na derme com a presença de células com pleomorfismo e anaplasia.

Intertrigo: é um termo para dermatoses inflamatórias, envolvendo as pregas do corpo.

Lâmpada de Wood (vidro de Wood): é o silicato de bário contendo óxido de níquel a 9%, é opaco a toda luz ultravioleta (LUV), exceto por uma faixa que se estende de 320-400 nm. Quando a LUV passa através deste filtro, é principalmente a radiação de 365 nm que é transmitida.

Lentigem: manchas hiperpigmentadas, confundida com sarda, são mais escuras do que as sardas, não sendo induzida por radiação ultravioleta.

Liquenificação: espessamento da pele com acentuação dos sulcos e da cor própria da pele, com aspecto quadriculado, de malhas poligonais bem definidas. É devida ao aumento da camada malpighiana.

Líquen simples crônico: é um distúrbio crônico pruriginoso localizado, resultante de arranhadura e atrito.

Lisossoma: corpúsculo intracitoplasmático que contém enzimas capazes de digerir material endógeno ou exógeno fagocitado.

Leucodermias: é a mancha branca e compreende a acromia, de cor branco marfim, causada pela falta total de melanina ou a hipocromia de cor branco-nácar, causada pela diminuição da melanina.

Lividez: é uma mancha de cor lívida, do chumbo pálido ao azulado, de temperatura fria, por isquemia.

Manchas pigmentares ou discrômicas: ausência, diminuição ou aumento de melanina ou depósito de outros pigmentos ou substâncias na pele.

Mancha angiomatosa: é mancha de cor vermelha, permanente, plana, que desaparece quase completamente por vitropressão forte, causada por neoformação névica de capilares da derme.

Mancha anêmica: área esbranquiçada, permanente, determinada por agenesia vascular. A vitropressão da pele circunsjascente igual a esta à mancha, mostrando que se trata de mancha anêmica, excluindo hipocromia.

Milium (milio): pequeno cisto de queratina, branco amarelada, superficial na pele.

Milia: são cistos ceratinosos, assintomáticos, pequenos, subepidérmicos, encontrado em indivíduos de todas as idades.

Melanoses solares: também manchas senis ou lentigos, planas e marrons, são encontradas na face, no colo, nas mãos, costas e até nas pernas e pés . São associadas com a idade mas sem dúvida são mais freqüentes em pessoas que se expuseram mais intensamente sob o sol.

Melasma: aparece como grandes máculas bronzeadas com bordos irregulares sendo encontrado nas bochechas, lábio superior e testa.

Melanoma: câncer da pele originário dos melanócitos que são células produtoras de pigmento melanina. Surgem de uma pinta ou sinal pré-existente ou na forma de uma pinta escura que cresce, muda de cor, apresenta bordas irregulares ou pode sangrar com pequeno traumatismo. Raras vezes pode aparecer na forma de caroço claro e inflamatório, de origem súbita. Nesses casos é chamado melanoma amelanótico. É tumor de comportamento agressivo que tem a capacidade de migrar pelos linfáticos e pelo sangue a outros órgãos metástases) podendo causar a morte do individuo.

Melanócito: célula dentrítica presente na camada basal da epiderme e na matriz pilosa, que produz melanina.

Melanófago: macrófago ou histiócito que fagocitou melanina.

Microabscesso: pequeno acúmulo de neutrófilos, eosínófilos ou células linfo-histiocitárias na epiderme e ápice das papilas dérmicas.

Microabscesso de Munro-Sabouraud: é constituído por acúmulo de neutrófilos degenerados na camada córnea ou de para queratose na psoríase.

Microabscesso de Pautrier:  é constituído por células atípicas linfo-histiocitárias na camada Malpighiana.

Molluscum contagiosum: é um tumor virótico limitado ao homem e macacos, sendo causado por um vírus DNA que se assemelha morfologicamente aos vírus que causam pústulas.

Necrose caseosa: necrose em que o tecido perde sua estrutura e há um material eosinófilo, amorfo,  finamente granuloso podendo ser encontrados fragmentos nucleares.

Necrose coliquativa: necrose tecidual com presença de neutrófilos degenerados, isto é com formação de pus.

Neurodermatite circunscrita: é um distúrbio crônico pruriginoso localizado, resultante de arranhadura e atrito.

Nódulo: lesão sólida, circunscrita, elevada ou não, de 1 a 3 cm de tamanho. É processo patológico que localiza-se na epiderme, derme e/ou hipoderme

Nodosidade ou tumor: formação sólida, circunscrita, elevada ou não, maior que 3 cm. O termo tumor é usado principalmente para processo neoplásico.

Papilomatose: proliferação das papilas dérmicas com alongamento das cristas epiteliais.

Papiloma: é uma papilomatose circunscrita com hiperqueratose. É o substrato do nervo verrucoso,  queratose seborreica, queratose actínica, e verruga vulgar. Em geral é possível a distinção entre essas varias afecções.

Pápula: lesão sólida, circunscrita elevada, menor que 1 cm, por processo patológico epidérmico, dérmico ou misto.

Placa papulosa: é a lesão elevada de altura inferior a 1 cm, em plataforma que se estende em superfície por vários centímetros. Pode ser individual ou constituir aglomerado de pápulas.

Paraqueratose: alteração do processo de queratinização normal com a presença de núcleos na camada córnea e diminuição ou desaparecimento da camada granulosa.

Pele seca: é uma condição muito comum, que predomina principalmente entre os idosos, a pele apresenta-se seca, não porque há falta de graxa ou óleo de pele, mas sim por falta de água.

Placa: uma área de pele elevada com mais de 2 cm de diâmetro.

Poiquiloderma: sinal caracterizado por atrofia, telangiectasias e pigmentação, geralmente reticulada.

Psoríase: é uma doença epidérmica proliferativa crônica. As lesões, geralmente placas descamativas, podem tornar-se bastante extensas ou até mesmo generalizadas.

Púrpura: mancha vermelha que não desaparece pela vitropressão. É devida ao extravasamento de hemáceas na derme e na sua evolução torna-se sucessivamente, arroxeada e verde-amarelada. Até um centímetro de diâmetro chama-se petéquia, maior, equimose e, se linear, víbice.

Pústula: elevação circunscrita, contendo pus até 1 cm em tamanho. É um abcesso superficial.

Perdas teciduais: são as lesões oriundas da eliminação exagerada ou da destruição dos tecidos cutâneos, do tipo, escama, erosão, escoriação, ulceração, úlcera, fissura, crosta, escara.

Queratose: espessamento da pele, duro, inelástico, amarelado e de superfície eventualmente áspera. É causado pelo aumento da espessura da camada córnea.

Queratinócito: são as células epidérmica as que em um processo de diferenciação formam a camada  córnea, queratinosa.

Queratoses seborreicas: verrugas ásperas podendo ser espessas, de cor marrom a enegrecidas em todo o corpo. Facilmente removíveis com mínimas cicatrizes pelo dermatologista.

Quelóide: formação elevada por proliferação fibrosa da pele, pós trauma, que não regride.

Queratoses actínicas: crostas grossas, duras, ásperas e avermelhadas que surgem em áreas foto- expostas Podem ser um pré-cancerígenas ou mesmo já um carcinoma espinocelular em fase inicial.

Queratose e hiperqueratose: espessamento moderado ou excessivo da camada córnea.

Rosácea: é um distúrbio crônico de etiologia desconhecida que afeta a face e o pescoço. Caracteriza-se por dois componentes clínicos: alteração vascular consistindo de eritema e rubor intermitentes ou persistentes, e uma erupção acneiforme com pápulas, pústulas, cistos e hiperplasia sebácea.

Rubor: eritema rubro, conseqüente de vasocongestão ativa ou arterial com aumento de temperatura.

Sardas: são máculas pequenas (2-4 mm), de pálidas a escuras, disseminadas irregularmente na face, ombros, costas e outras áreas expostas ao sol.

Sero-pápula: é formada por uma vesícula sobre o centro de um pequena pápula urticada. Lesão típica do estrófulo.

Sulco (túnel): pequena saliência linear, inferior a 1 cm, com vesícula perlácea, do tamanho da cabeça de um alfinete na extremidade. Lesão típica da escabiose.

Sinal de Koebner: aparecimento de lesões similares às da dermatose por trauma, típico da psoríase e liquen plano.

Sinal de Sampaio: bainha gelatinosa nas raízes dos cabelos, encontrada na pseudo-pelada e lupus eritematoso. Indica atividade da doença.

Sinal de Zileri: descamação observada pelo estiramento da pele na pitiríase versicolor.

Sinal de Auspitz ou do orvalho sangrento: aparecimento de ponteado hemorrágico quando se raspam as escamas na psoríase. Também conhecido como sinal da vela.

Sinal de Darier: fricção da lesão determina urtica, típica da urticária pigmentosa (masticitose).

Telangiectasia: lesão filamentar, sinuosa, permanente devido à presença de capilares dilatados na derme.

Teste de contato: é usado para documentar e avaliar um diagnóstico de sensibilização alérgica de contato e identificar o agente causal.

Tubérculo: designação em desuso, significava pápula ou nódulo que evolui deixando cicatriz

Ulceração: perda de epiderme e derme eventualmente atingindo a hipoderme e outros tecidos.

Úlcera: é uma ulceração persistente e de evolução crônica.

Urtica: elevação de forma irregular, cor variável do róseo ao vermelho, pruriginosa, com duração efêmera. Resulta da exsudação aguda da derme. É também chamada de pápula urticariana. Quando atinge vários centímetros de extensão denomina-se placa urticada.

Vesículas: elevação circunscrita, contendo líquido claro, até 1 cm de tamanho. O líquido, primitivamente claro (seroso), pode se tornar turvo (purulento) ou rubro (hemorrágico).

Vegetação: pápula pedunculada ou com aspecto de couve flor, branco avermelhada, que sangra facilmente, devida ao aumento da camada espinhosa, cristas epiteliais e papilas dérmicas.

Verrucosidade: pápula ou placa papulosa de superfície dura, inelástica e amarelada por aumento peculiar da camada córnea.

Verrugas: são tumores intradérmicos da pele causados por infecção pelo vírus do papiloma humano.

Veias varicosas: veias grossas, normalmente nas pernas, de cor azulada, causadas pelo mal funcionamento de válvulas periféricas dos membros inferiores.

Vitiligo: manchas hipopigmentadas, é um distúrbio no qual os melanócitos parecem interromper a produção de melanina.

Xerose: a pele seca é uma condição muito comum, que predomina principalmente entre os idosos, a pele apresenta-se seca, não porque há falta de graxa ou óleo de pele, mas sim por falta de água.